LIBERDADE DE OPINIÃO

O objetivo desse blog não é criticar negativamente as crenças e conceitos de outrem. É um exercício de reflexão com o mais puro sentimento de liberdade e de amor ao próximo. São textos de um mero estudante descobrindo o universo que vivenciamos.



domingo, 2 de setembro de 2012

UM MERA REFLEXÃO DA VIDA...


Nas escolas de mistérios os iniciados sempre passavam por instruções, aplicações e provas, eles eram assistidos por mestres que tinham como objetivo elevar os conhecimentos daqueles antes profanos. Hoje, nós meros postulantes, temos que ser auxiliados pelos mais antigos, de forma a “nossa consciência ser mais iluminada”. 

Por vezes, observamos em nosso recinto alguns assuntos de cunho diferente de nossos ensinamentos, como um tema de futebol, um tema de uma religião etc. Na verdade, esses queridos amigos, por vezes, sentem a necessidade de socialização com os demais irmãos. Isso é um processo normal, já que temos nossas atribuições cotidianas, problemas particulares e nem sempre temos condições de conversar um com os outros durante a semana ou fazer uma mera visita. Salvo, aqueles que já tem alguma intimidade a mais tempo. 

Voltando as escolas de mistérios, o estímulo tinha lá seu simbolismo, hoje já não encontrado suficientemente para despertar certos conhecimentos, para isso, é necessário proclamar aos “mais antigos”, considerando estes, mais sábios, já que a sabedoria só é possível quando o conhecimento individual é aplicado, é posto em ação, é compartilhado, a contribuir para o desenvolvimento dos mais “novos”, sendo isso, da forma mais conveniente possível, seja através de uma palestra, uma conversa, um texto escrito, uma simples oração etc. 

Não se pode estímular alguém, ou melhor, cobrar motivação de alguém, quando não nos colocamos a disposição para iniciar esse processo. Não se pode achar que alguém não está contribuindo para uma organização, quando ele nem foi devidamente acolhido, de forma inversa também, se colocando receptivo as outras pessoas. 

Seja em nosso ambiente religioso, familiar ou de trabalho, devemos está atento aos nossas percepções. Certo dia conversando um membro de uma organização, ele me falou explicitamente: “Adoro esse lugar, essa organização, pois descobrir nela o caminho que estava buscando, por vezes de forma errada, mas aqui, sentimos que o conhecimento é correto, progressivo, mas profundo. Não quero mais deixar esse lugar, essa organização.” Em resumo, essa pessoa por vezes foi mal interpretada, pelo seu jeito de vida ou pela maneira que vivia anteriormente, julgada de forma que o direito natural de recomeço não foi ao menos respeitado. Não se foi ao menos tolerante para com ele. Queriam expulsá-lo da organização. 

Cada um tem que fazer uma reflexão de como pode melhorar sua vida e os ambientes os quais frequentam. Lembrar que há sempre pessoas necessitando da nossa luz, da nossa vida e do nosso amor. 

Um abraço fraterno a todos.