LIBERDADE DE OPINIÃO

O objetivo desse blog não é criticar negativamente as crenças e conceitos de outrem. É um exercício de reflexão com o mais puro sentimento de liberdade e de amor ao próximo. São textos de um mero estudante descobrindo o universo que vivenciamos.



quinta-feira, 7 de junho de 2012

O DRAGÃO DA INFLAÇÃO


Ainda menino, ficava pensando sobre essa história de Dragão da inflação. Naquele tempo, recordo, o único Dragão que eu conhecia era o de São Jorge, visto que existiam imagens do Santo Guerreiro e do feroz animal. Ficava fazendo minhas comparações, de onde viriam esses animais? Por que expelia fogo de sua boca?

O que mais me encabulava era ter notícias de apenas dois, um na Terra, o da inflação e outro na Lua, esse último com um cavaleiro que o caçava. Minhas comparações iam mais além, porque não entendia ter alguém combatendo na lua se lá não existia gente para ele atacar. Já o da terra tem toda a humanidade. Parecia com medo do bicho homem, pois ninguém via, mas todo mundo falava nele, era o Dragão fantasma?

Hoje adulto, fico imaginando que o combate a inflação, ou melhor, ao Dragão terráqueo tem muitas formas, a principal dela o comprometimento de um governo com os gastos públicos, principalmente para não gerar déficit público, equalizando bem a Receita versus Despesa.

Quanto ao mito do Dragão, já na fase adulta, descobri que se trata de mito antigo, pois desde a idade média os “monstros” eram inimigos dos governantes. Para equalizar as contas públicas, os governantes apenas cobravam mais impostos. Os camponeses tinham uma única forma retórica para explicar aos cobradores de impostos a falta de recursos para não pagar os tributos, era que suas lavouras foram atacadas pelos imensos monstros, inicia-se a sonegação fiscal. Como se diz no dito popular: Aí o bicho pega! Os melhores cavaleiros eram designados para combater os terríveis monstros, como tudo tem uma explicação, sobreviveu por muito tempo, pois eram poucos cavaleiros para tantos ataques...

Voltando ao mundo contemporâneo os cavaleiros atuais, com suas armas estatísticas, produzem resultados surpreendentes, fazendo cortes de orçamento público, aumentando taxas de juros, mas nunca reduzindo carga tributária, ou seja, mesmo com o herdeiro dos Dragões da antiguidade voltando, a sonegação não é combatida arduamente para poder gerar superávit fiscal, criando a base para redução da carga tributária. Muito menos se combate os supostos casos de dumping dos produtos chineses, isso não quer dizer que todos estão nessa condição. Alías, o Dragão na China é símbolo nacional, algumas vezes considerados guardiões de tesouros, enquanto isso, no outro lado do mundo, o Dragão está mais para pirata...


Texto publicado no blog Além da Escrita em 01/03/2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário