LIBERDADE DE OPINIÃO

O objetivo desse blog não é criticar negativamente as crenças e conceitos de outrem. É um exercício de reflexão com o mais puro sentimento de liberdade e de amor ao próximo. São textos de um mero estudante descobrindo o universo que vivenciamos.



segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Telescópio detectará luz de raios cósmicos

A folha de São Paulo através de seu caderno de ciência publicou ontem, dia 19.12.2010, em seu site (www.folha.com) uma reportagem sobre uma pesquisa feita pela Universidade Federal do ABC cujo objetivo é detectar luz de raios cósmicos. Abaixo segue o link da reportagem:

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/848092-telescopio-detectara-luz-de-raios-cosmicos.shtml

Esse assunto é tema, inclusive, de pesquisa de muitos estudantes de misticismo. 

sábado, 18 de dezembro de 2010

O NADA QUE É TUDO E QUE É NADA

Revendo alguns textos escritos, tem um que escrevi em setembro chamado “Um universo Cíclico? Parte II” e consta nele um comentário do Frater Leite sobre o NADA, muito interessante e peço que possam rever. Ele fala do Deus escondido que preenche todo o universo, isso se tratando da criação, uma concepção da unidade no sistema binário.

Outro dia tomando um vinho com meu amigo e comprade, que é médico, Dr. Maurício, me fez uma pergunta sobre o que a Maçonaria pensa sobre a antimatéria, relutei em responder, mas disfarcei e disse que não tinha nenhuma informação para responder e de fato não tinha.

Venho fazendo algumas reflexões sobre o tema, tais como se realmente existe a antimatéria ou ela é mero desdobramento da matéria em seu lado oposto, isso se eu considerar que existe um intervalo aberto entre as extremidades dentro do que podemos enxergar aos olhos da ciência. Já que num conceito básico e popular podemos concluir que antimatéria é o oposto da matéria, ou seja, se uma partícula tem carga positiva seu oposto será a mesma partícula com carga negativa. Penso na intensidade das vibrações dessa energia do ponto de vista da gradatividade de um extremo ao outro.

Voltando ao NADA na concepção de uma energia universal que ao mesmo tempo é e não é, diferentemente na nossa concepção tempo-espacial. Dentro de um contexto cabalístico, é o véu da negatividade, então, da antimatéria. Bom isso no pensamento de um mero estudante livre para pensar. Com um detalhe importante, negatividade não quer dizer mal, mas uma representação oposta de uma realidade que vivemos.

O Martinismo, por exemplo, trata a unidade a partir do ser por si próprio para formação a unidade da humanidade, mas isso fazendo parte de uma unidade universal. Isso explica, por exemplo, em acreditar que após a transição (morte do corpo físico) há uma “vida diferente” em outra dimensão, pois existe uma "consciência" que interage com outras dimensões.

Voltando ao NADA ou AIN na cabala, o escritor Helvécio de Resende Urbano Jr. em seu livro “ Maçonaria Simbologia e Kabbala”, publicado pela Editora Madras, traduz bem o AIN “Em razão de sua Transcendência, o Todo possui uma força potencial ilimitada; e, pela mesma razão, o Nada guarda essa força latente. No Todo, o AIN está em todos os lugares e em todos os tempos; no Nada, ele está por fora de todo Espaço e Tempo. No Todo, ele é o centro ou ele é todos os pontos e, portanto, todos os centros incalculáveis; no Nada, ele não pode ser definido nem por Posição me por Direção.”

Somos parte do TODO, então o Nada é tudo e é nada...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

APRENDER COM A VITÓRIA

Frase de Muricy Ramalho, técnico do Fluminense, a respeito do aprendizado, respondendo a uma pergunta de um repórter se ele havia aprendido com os problemas do ano passado quando ele era técnico do Palmeiras e se isso o ajudou no título de Campeão Brasileiro desse ano:

"Gosto de aprender com a vitória e não com a derrota"

Então que essa frase seja motivadora para você consegui seus sonhos...

sábado, 4 de dezembro de 2010

A DOR

Uma homenagem ao Frater e Filósofo Mário Sales

Dor...

É ela está sempre atrelada ao medo! Ao medo por não termos coragem, ao medo por não acreditarmos em superação, não acreditarmos na cura ou não acreditarmos em nós mesmos e ao que nos foi confiado...

Dor...

Que tal ao invés de olharmos o amanhecer preto e branco, nos colocando para enxergar o sol nascer em seu esplendor amarelo, mas se o sol não aparecer, olhar o branquinho das nuvens, mas se a nuvem for cinza, imaginar que por cima delas, como se estivéssemos num avião, há um sol brilhando e quando o vento aumentar elas se vão e o sol irá aparecer.

Mas se isso não for suficiente, que tal escutarmos o "silêncio" da manhã, mas se já não houver silêncio, que tal escutarmos o canto dos pássaros, mas se não houver pássaros, que tal colocar uma música com volume baixo, mas alegre...

E se isso não for suficiente, que tal ir à cozinha, saborear um sorvete. Tudo bem! Mas eu não gosto de sorvete! Que tal um bolo de chocolate, um bombom, um suco, uma maça, sentir o alimento em sua boca, perceber o sabor...

É! O Sabor da vida, pois a dor é momentânea, mesmo que pareça prolongada... Vai passar, mas se for pessoas que não podemos deixar elas, qual o remédio...

Amor, simplesmente amor...

Mas se eu dou amor sempre? E não curou!

É porque a dosagem ainda não terminou...